Cervejas mexicanas.

“Nem só de tequila vivem os mexicanos.” Quem nunca ouviu falar de Corona, Sol e Dos Equis? Essas são algumas das “Las Chelas” mexicanas que estão na lista das mais famosas do mundo. Nos últimos cinco anos, microcervejarias se espalharam por várias regiões do México, como a Cidade do México, Oaxaca, Guadalajara e Baja California.

Os primeiros habitantes da região fizeram uma variedade de bebidas fermentadas a partir do cacto agave e milho, mas foram os europeus que introduziram a cerveja de sua terra natal quando chegaram. Algumas marcas mexicanas têm surpreendentemente uma longa história, de um século ou mais, graças aos cervejeiros alemães e suíços. Em uma nota de rodapé da história mexicana, conta que o imperador austríaco Maximilian, que governou grande parte do país, foi responsável por introduzir receitas das cervejas mais escuras, as precursoras da Negra Modelo, Bohemia Obscura, e Dos Equis Âmbar, que fazem tanto sucesso atualmente.

A maioria das cervejas mexicanas, como nos países tropicais, é Pilsen, de corpo leve e suave, servida gelada, até por conta do clima quente.  Ela investe em ingredientes característicos do país, como chilli e tequila. É, inclusive, comum servir um pedaço de limão e um pouco de sal na boca da garrafa, especialmente com as cervejas mais leves como a Corona.

Imagem-2

Existe uma bebida tradicional, conhecida como michelada, que é composta basicamente de cerveja leve com bastante suco de limão e molho picante. As cervejas mexicanas são tão populares nos EUA que os fabricantes de cerveja americanos têm tentado comercializar as suas próprias versões, de uma espécie de citrus e sal, como a Miller e Bud Light Lime.

Apesar da produção de cervejas especiais viver um “boom”, ainda está bem atrás dos vizinhos do norte. Microcervejarias independentes ainda não são muito comuns no México, elas produzem uma pequena variedade de cervejas e o melhor jeito de prová-las é em um bar local ou bistrô. O cenário é liderado pelos grandes: Grupo Modelo e FEMSA que controlam  90% do mercado de cerveja mexicano.

As duas grandes cervejarias polarizam as chelas do país e até os patrocínios dos times de futebol. A FEMSA é responsável pelas seguintes marcas: Tecate, Sol, Dos Equis, Carta Blanca, Superior, Indio, Bohemia e Noche Buena. Grupo Modelo tem menos marcas, mas com maior mercado de exportação: Corona, Corona Light, Negra Modelo, Modelo Especial, Modelo Light e Pacífico. Outras marcas do Grupo Modelo, voltadas exclusivamente ao mercado local, são a Victoria, Estrella e León e Montejo.

As cervejas mexicanas são exportadas para diversos países. A cerveja é também um dos principais produtos de exportação, com a maior parte indo para os Estados Unidos, mas está disponível em mais de 150 países no mundo. Em 2010, o México tornou-se o maior exportador de cerveja do mundo, batendo nada mais, nada menos que a Holanda.

Portanto, além de sua beleza natural, o México também chama atenção pelas cervejas e pode ser um bom lugar para uma visita. São diversas marcas, estilos e sabores para todos os tipos de apreciadores. O cenário cervejeiro por lá lembra o do Brasil – alguns anos atrás, muitas microcervejarias surgiram e com boas cervejas. As importadas aparecem em bom número e, principalmente, bom preço. Em alguns restaurantes, pode-se encontrar uma carta de cervejas artesanais mexicanas com mais de 40 rótulos e bares com mais de 160 variedades diferentes.

Fonte: clubeer.com.br

Categorias: Cultura, Curiosidades, Gastronomia
Desenvolvido por